quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Elaboração de Projeto Social

Colegas, recebi algumas mensagens solicitando explicação sobre elaboração de projeto.

Primeiro devemos saber a diferença entre projeto de pesquisa e projeto de trabalho (ou de intervenção). Nesse momento vou escrever sobre o segundo. Posteriormente se houver interesse, posso escrever sobre projeto de pesquisa.
Para fazer um projeto de trabalho (ou intervenção) devemos fazer uma consulta e reflexão sobre uma necessidade real para ser o objeto de intervenção ou de trabalho.

IMPORTANTE/FUNDAMENTAL/ESSENCIAL – o projeto de intervenção parte sempre da necessidade da população com a qual se trabalha. A população deve ser ouvida e apontar suas necessidades. Deve-se ouvir também trabalhadoras e trabalhadoras que atuam diretamente com essa população. Cabe ao profissional, sistematizar essa necessidade e buscar a melhor forma de atendê-la com os recursos que podem conseguir. Eu acredito que o projeto de trabalho (intervenção) deve partir de um planejamento participativo (diferente do estratégico, segundo Gandim).

Seguir a orientação do “quadro 1”que está no texto, e inicialmente podem fazer um quadro como este, ou podem fazer já em forma de projeto.

Sugestão

Identificação – muito rigor ao identificar a instituição, local, nome da/o profissional responsável, nome da equipe (se tiver), data (pode aparecer na primeira página como monografia, ou na própria página).

Objeto – “Manifestações da questão social que deverão ser enfrentadas no projeto”. Deixar claro qual será a intervenção que farão. Vocês poderão apresentar o objeto na apresentação, ou simplesmente colocar ates do texto.

Justificativa – não aparece no texto mas ela tem determinado conteúdo em forma de texto corrido, não há necessidade de subtítulos, vou colocar o conteúdo apenas para conhecerem:
- apresentação do objeto (problematização),
- contextualização (localizar o objeto no tempo,
- espaço e identificar a conjuntura em que está circunscrito),
- historiciar e/ou colocar alguns dados que justifiquem sua intervenção
- importância (Não digam “este projeto é importante, deixem que o leitor perceba isso com os dados que vc colocou) ,
- viabilidade – sem detalhamento, coloque em breves palavras como o projeto poderá ser desenvolvido e qual o recurso. Digo sem detalhamento, pois, posteriormente terão um espaço específico para a metodologia.

Objetivo geral – “Objetivos que indicam o que pode ser esperado com a intervenção profissional” Para que quer fazer tal ação? Onde quer chegar? Geralmente só se constrói 1 objetivo geral.

Objetivo específico – para chegar ao final vc faz pequenas conquistas e cada uma delas tem um objeto. Cuidado! Cada objetivo específico deve ter uma ação (que vai aparecer depois) para poder cumpri-lo, portanto não exagerem na quantidade.

Metas - “Aonde se busca chegar. É importante quantificar, deixar claro quais metas deverão ser atingidas.”, de uma forma bem grosseira, a meta é a quantificação do/os objetivos.
Indicadores – “Identificação dos indicadores que serão utilizados para a intervenção e avaliação do processo”. Indicador é o elemento que direciona se projeto e sua avaliação. Eleger “aquilo” que será importante no decorrer do projeto e que depois será avaliado. Ex: Se vcs quiserem reduzir as filas no atendimento de determinada instituição, o indicador é “redução de filas”.

Metodologia – Colocar de forma bem detalhada como os objetivos serão atingidos. Nesse momento as referências devem ser: as necessidades das pessoas demandatárias, dos profissionais que trabalham com essas pessoas; material teórico (há várias formas de fazer algo, o nosso modo de trabalhar depende do nosso referencial teórico e metodológico). (acredito que o referencial teórico metodológico deva aparecer em todo texto, mas em alguns projetos de pesquisa ele pode aparecer separadamente, dependendo de quem ou qual instituição o solicitou)

Avaliação - “É fundamental explicitar a forma de avaliação do projeto proposto. Lembrar-se da importância do espaço para a participação da população usuária”.

Referências: colocar a bibliografia, documentos, publicações, leis, atas de reuniões, outros projetos, instrumentos orçamentários etc. Em projetos as referências podem aparecer no final ou em nota de rodapé. Por experiência profissional, eu prefiro colocar como nota de rodapé, pois algumas pessoas tiram cópia de partes do projeto e a bibliografia fica prejudicada. Assim em cada página aparece a referência.

Recursos materiais: detalhar tudo aquilo que for necessário para a execução do projeto, quantificar e colocar os valores.

Profissionais necessários: detalhar o profissionais necessários para a execução do projeto, quantificar e colocar os valores (em alguns projetos a equipe aparece como “recursos humanos”, sempre que possível, eu separo pois não considero os profissionais recursos, mas sujeitos responsáveis pela elaboração, execução e avaliação do projeto.

Cronograma: Colocar todas as ações que serão desenvolvidas e discriminando o período (data). Atenção, o objeto e todos os objetivos devem ser contemplados.

IMPORTANTE/FUNDAMENTAL/ESSENCIAL:
Lembrem-se, uma das diferenças entre um curso técnico e a graduação é que o primeiro ensina a fazer, o profissional sai do curso com manuais e orientações de como fazer. No curso de graduação, o profissional sai em condições de descobrir o que fazer a partir dos instrumentais teóricos e metodológicos apropriados de forma reflexiva durante o curso e com os estudos continuados. Assim não existe “receita” ou “manual”de como fazer projeto. Vcs vão construir um projeto a partir da realidade concreta, da necessidade da população demandatária.
O profissional tem elementos, teoria, metodologia e técnica para construir um instrumento que atenda determinadas necessidades. O material produzido por vc deverá orientar outros profissionais que farão parte da execução do projeto.

Bom trabalho!

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Assistente Social com mestrado e doutorado em Educação pela UFG. Professora convidada da PUC lotada no Departamento de Serviço Social. Docente/tutora no curso de especialização em Serviço Social: direitos sociais e competência profissional promovido pela ABEPSS, CFESS e UNB. Conselheira no Conselho Estadual de Assistência Social de Goiás.

Projeto Social